Crescimento econômico nos 19 países que usam o euro foi de apenas 0,1%, ante alta de 0,3% no 3º trimestre.

Nova nota de 50 euros Associated Press O crescimento econômico da zona do euro desacelerou como esperado nos últimos três meses de 2019, quando o Produto Interno Bruto contraiu na França e na Itália em relação ao trimestre anterior, mostraram estimativas oficiais nesta sexta-feira (14). A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, disse que o PIB nos 19 países que usam o euro expandiu 0,1% entre outubro e dezembro sobre o trimestre anterior, como anunciado em 31 de janeiro, chegando a um aumento de 0,9% na base anual -- revisão para baixo ante a estimativa anterior de crescimento de 1,0%. A taxa de expansão trimestral desacelerou em relação à de 0,3% no terceiro trimestre por causa de uma contração de 0,1% na França, segunda maior economia do bloco, e queda de 0,3% na Itália. Economia da Alemanha fica estagnada O crescimento na Alemanha, maior economia da zona do euro, estagnou.

O consumo privado e os gastos estatais vêm fornecendo ímpeto ao crescimento e, se esses dois setores continuarem a enfraquecer este ano, o risco de recessão aumentará. "Achamos que a economia continuará a flertar com a recessão no primeiro semestre do ano", disse em nota Andrew Kenningham, da Capital Economics. Separadamente, a Eurostat informou que o superávit comercial da zona do euro com o resto do mundo foi de 23,1 bilhões de euros em dezembro, contra 16,3 bilhões um ano antes, elevando o total em 2019 para 225,7 bilhões, de 194,6 bilhões em 2018. Ajustado para fatores sazonais, o superávit comercial foi de 22,2 bilhões de euros em dezembro, de 19,1 bilhões em novembro.