O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos do governo federal, marcou reunião na próxima semana para discutir a crise do coronavírus no país e o direcionamento que o Poder Executivo tem adotado com o avanço da doença. Segundo informado ao blog, uma das pautas da reunião será o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na terça-feira (24) em rede nacional de televisão e rádio.

A reunião do Conselho de Direitos Humanos está marcada para quinta-feita, 2 de abril. Durante seu discurso, o presidente afirmou que o Brasil deve voltar à normalidade, criticou novamente o que chamou de “histeria” em torno da situação, questionou o fechamento de escolas e pediu que governadores abandonem o conceito de “terra arrasada” em seus estados. O pronunciamento gerou críticas de políticos e autoridades contrários à postura de Bolsonaro.

Ao ser questionado sobre as falas do presidente brasileiro, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, afirmou que controlar o vírus “é uma responsabilidade de todos, especialmente das lideranças políticas”. Como o blog mostrou, o CNDH tem adotado uma postura mais independente em relação à administração Jair Bolsonaro, o que demonstra um desgaste do governo com o setor, na visão de um integrante do colegiado. No início da semana, o conselho emitiu nota pública para pedir que o Estado garanta os direitos da população em situação de rua, mesmo diante da crise provocada pelo coronavírus no país.

Antes, o CNDH já havia se manifestado em relação à proteção da população indígena.